Este espaço foi pensado para divulgar e discutir a Cidade de Ipu/CE de uma forma bem espontânea, através de crônicas, causos, versos, além de opiniões e comentários diversos, tanto do autor, quanto dos nossos visitantes. O blog IPU EM CRÔNICAS E VERSOS, embora com muita humildade, busca também promover as peculiaridades do Nordeste através do cordel, uma das expressões mais originais de nossa cultura. Sejam todos bem-vindos! (Ricardo Aragão)


17 de agosto de 2008

SETEMBRO: BICA SECA

.





Quando entrar setembro,
e a boa nova andar nos campos.
Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou.
Juntos outra vez.

Já sonhamos juntos,
semeando as canções no vento.
Quero ver crescer nossa voz
no que falta sonhar.

Já choramos muito,
muitos se perderam no caminho.
Mesmo assim não custa inventar
uma nova canção que venha nos trazer.

Sol de primavera
abre as janelas do meu peito.
A lição sabemos de cor,
só nos resta aprender.

(Sol de primavera, Beto Guedes)



"Quando entrar setembro" em nossa Terra de Iracema, não temos nada de “boa nova”. Pelo menos em relação à Bica do Ipu, que praticamente “desaparece”.

“Já sonhamos juntos” por uma natureza não agredida pela ganância e irresponsabilidade do homem.

“Quero ver crescer nossa voz” na defesa de nosso meio ambiente e na manutenção de nossa Bica. Sempre viva! Perene! Caudalosa!

“Já choramos muito” pelas agressões causadas ao nosso Riacho Ipuçaba e pela falta de compromisso das pessoas que poderiam fazer algo para salvá-lo.

“Mesmo assim não custa inventar uma nova” ação “que venha nos trazer” a Bica e o Ipuçaba de volta.

Bica Seca: apesar de chocante, tenho que mostrar! Pois é assim que ela fica quando chegam os famigerados “bê-erre-o-brós” e, com eles, a escassez das águas do Ipuçaba que, somada à falta de conscientização daqueles que tiram do riacho seu sustento, não tomando os devidos cuidados para evitar o assoreamento de suas margens e a manutenção de suas matas ciliares, causa esse efeito horrendo: A NOIVA SEM VÉU!

Salvemos nosso Ipuçaba e recuperemos o esplendor da Bica do Ipu!

“A LIÇÃO SABEMOS DE COR, SÓ NOS RESTA APRENDER!”


Ricardo Aragão
12.09.07

.

2 comentários:

Marcos disse...

Bela matéria amigo. Meu Pai nasceu ai na Cidade de Ipu, se chamava Graciano Matias Virgílio, filho de Vicente Virgilio. Agradeço pela sua matéria abordando a cultura através da história dos nascidos na Cidade de Ipu.

Esgotecnica disse...

Ipu - Cidade Natal de meu Pai