Este espaço foi pensado para divulgar e discutir a Cidade de Ipu/CE de uma forma bem espontânea, através de crônicas, causos, versos, além de opiniões e comentários diversos, tanto do autor, quanto dos nossos visitantes. O blog IPU EM CRÔNICAS E VERSOS, embora com muita humildade, busca também promover as peculiaridades do Nordeste através do cordel, uma das expressões mais originais de nossa cultura. Sejam todos bem-vindos! (Ricardo Aragão)


14 de setembro de 2008

UMA DOR, UMA SAUDADE...

.
Por Carmita Aragão



Por que acontecem fatos inexplicáveis?

Por que um projétil tão pequeno destruiu uma vida tão grandiosa, tão cheia de entusiasmo e alegria?

Cada dia que passa aumentam minhas indagações, pergunto-me a cada instante e não encontro respostas nem explicação.

Era vivaz, de uma alegria contagiante, bonita, cheirosa, elegante. Andava sempre chique e a alegria era sua marca registrada.

Adorava a vida, lutou com a morte várias vezes, nem o câncer tirou-lhe a alegria de viver. Submeteu-se a várias cirurgias e não temia recaída, pelo contrário, sentia-se curada. Era otimista!

Teve momentos dificílimos e soube, com altivez, galhardia e orações, vencer um a um de cabeça erguida. Sabia a quem confiar os seus segredos, a quem pedir orientação. Por que naquele dia fatídico não desabafou com ninguém? Será fatalidade?

Era sincera, espontânea, autêntica, amiga leal, tratava a todos com delicadeza e bondade. Alma caridosa, gostava de fazer o bem e estava sempre disponível para ajudar alguém.

Sua vida era um livro aberto, não tinha fingimento nem máscara.

Era carismática, o que despertou a inveja em muita gente má.

Analisando os fatos vemos que a carga de injúrias, maldades, desrespeito e sobretudo falta de temor a Deus por parte de seus algozes, foi grande demais para um ser humano suportar.

Será que as víboras, autores daqueles insultos não têm família? Às vezes os filhos pagam pelos erros dos pais, e se acontece algo de ruim a um filho o sofrimento dos pais é muito maior.

Uma consciência carcomida pela inveja e pelo desamor não possui lugar para arrependimento nem perdão.

São pobres diabos incapazes de sentimentos nobres e, como vermes, só se alimentam da podridão e da lama.

Aguardemos o passar dos dias e veremos a grande recompensa merecida.

Deus fará justiça!

Sua ausência deixou um enorme vazio, uma dor profunda, uma saudade dorida...



Homenagem à Maria do Socorro de Mesquita Martins

Por:
Maria do Carmo Cavalcante Aragão Magalhães
(Carmita Aragão)
Ipu/CE, 14/09/2008.

.

2 comentários:

Dalinha Catunda disse...

Ricardo,
Seu blog é um espaço aberto a dar voz o cidadão ipuense.
Eu que sempre passo por aqui, é justamente nesse espaço que vejo o coração do Ipu bater mais forte.Você tem a sabedoria de falar dos feitos dos filhos da terra. De mostrar a alegria, a dor de um povo que entre altos e baixos vai construindo sua história.
Parabéns e que sua iniciativa continue prestigiada pelo seu povo.
Um abraço,
Dalinha

Anna Izabel Martins Magalhães disse...

Uma homenagem justa e correta em todas as colocações!