Este espaço foi pensado para divulgar e discutir a Cidade de Ipu/CE de uma forma bem espontânea, através de crônicas, causos, versos, além de opiniões e comentários diversos, tanto do autor, quanto dos nossos visitantes. O blog IPU EM CRÔNICAS E VERSOS, embora com muita humildade, busca também promover as peculiaridades do Nordeste através do cordel, uma das expressões mais originais de nossa cultura. Sejam todos bem-vindos! (Ricardo Aragão)


17 de agosto de 2008

PRA NÃO DIZER QUE TU NÃO TENS AMORES

.
.
Despencando tuas águas
E seguindo em teu vão.
Belo rio da Bica
E do meu coração.
Em cascatas e fontes
Tu fizeste a opção,
De correr no Ipu
E banhar este chão.

Ipuçaba, fluis agora
Que seco não vou te ver.
Quem sabe está na hora
De tentar te reviver!

Tuas águas, puxaram
Pra molhar plantação.
Mas, sequer cuidaram
Em manter-te em teu vão,
Escorrendo em teu curso,
Banhando este chão
E fazendo da Bica
Teu mais lindo refrão.

Ipuçaba, fluis agora
Que seco não vou te ver.
Quem sabe está na hora
De tentar te reviver!

Poucas coisas fizeram
Para te manter são.
Tuas matas, tiraram
E secaram teu chão.
E tu já não mais cantas
Tua mais linda canção.
Só o silêncio emana
Lá do teu paredão.

Ipuçaba, fluis agora
Que seco não vou te ver.
Quem sabe está na hora
De tentar te reviver!


Paródia da canção: Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré.

Por: Ricardo Aragão
Ipu/Ce, 27/11/07

Nenhum comentário: